E se eu for feliz? O que será depois?!

ara algumas pessoas esse pensamento é apavorante: se eu for feliz (ou: se eu conseguir tal objetivo) o que será depois?!”. Geralmente ele ocorre em nossa mente na forma de pergunta e sempre próximo, (antes ou depois) de algum evento emocionalmente importante. Apesar de ter a forma de pergunta ele ‘funciona’ em nossa mente como uma afirmação, porque leva à ansiedade e em alguns casos é causa de procrastinação xxx e auto sabotagem. Além disso o medo e ansiedade que ele produz podem levar pessoas a ficarem estagnadas, dentro de sua zona de conforto, por muito tempo…

Já vi esse pensamento ocorrer em mim e em meus clientes em três tipos de situações: a primeira é pensar que: conseguir aquela vaga de emprego tão sonhada ou aquela pessoa ou aquele casamento dos sonhos, pode não trazer a felicidade, e como eu disse, esse pensamento funciona como uma afirmação então apesar de ter a forma de pergunta ele é uma afirmação de que conseguir aquela coisa tão esperada não trará felicidade ou satisfação. A consequência de pensar isso leva a outras reflexões ainda mais dolorosas: “se alcançar esse sonho não me fizer ficar satisfeito, logo não ficarei feliz com nada” e então a conclusão: “estou fadado a uma vida sem perspectiva de satisfação pessoal, de alegria ou felicidade”.

A segunda situação é parecida com essa, consiste em pensar que ao atingir o objetivo tão sonhado, não haverá mais “para onde ir” como se o objetivo em questão fosse o último degrau da escada da vida, pensar desse modo torna a conquista do objetivo muito “pesada” emocionalmente. Pois imaginar que chegará ao último degrau e que lá não haverá “felicidade” é assustador, porque na mente da pessoa, não há mais degraus para subir, e descer para um nível inferior não faz sentido.

A terceira situação decorre de algumas crenças específicas. Há pessoas que pensam de forma mais ou menos consciente que o universo é “equilibrado” e que experiências boas e ruins têm que acontecer em número intensidade iguais. Portanto quando elas vislumbram um acontecimento importante em suas vidas, que pode ser fonte de muita alegria e satisfação, imediatamente ficam com medo, por que segundo a crença que possuem, algo muito ruim tende a ocorrer em seguida.

Pensamentos como esses tendem a nos aprisionar em degraus inferiores de expressão de nosso potencial, degraus inferiores ao que temos capacidade de alcançar. Para sair dessa prisão é necessário pensar de modo diferente. Aqui vai algumas formas de pensar baseadas não em crenças, mas em evidências, fatos e valores. 1º – Alcançar uma posição ou objetivo tão sonhado e não se sentir realizado tem uma causa principal, falta de autoconhecimento, significa que há áreas da sua personalidade que você não conhece, e que precisam ser conhecidas para você alcançar níveis maiores de satisfação com a vida. E de modo geral não há como saber se aquele sonho nos fará feliz sem vivê-lo pelo menos em parte. 2º – sempre é possível aprender, mesmo que o objetivo tão almejado seja muito importante para você ou o último estágio de sua carreira, ainda sim é possível crescer em outras áreas porque você não é só a sua carreira ou um aspecto específico da sua vida. 3º – sofrem muito com o que vou tratar agora as pessoas com um perfil sabotador, pessoas que quando estão próximas de ser felizes sabotam a si mesmos, através de ações que visam inviabilizar os objetivos de modo a perder a oportunidade de ser feliz. Os sabotadores clássicos ao se imaginarem felizes e realizados sentem um pouco de angústia ou mal estar, ou então acontece outra em suas mentes, quando se imaginam felizes sua mente diz, “sem chance disso acontecer para você”. Analise a si mesmo com sinceridade, olhe para você mesmo com carinho e veja se isso ocorre contigo.

A felicidade e o sucesso e a satisfação pessoais são individuais e são construídos com nossas escolhas, investir em autoconhecimento é uma ótima escolha, a responsabilização por sua vida também. Acontecerá com você não algo vindo de fora, do ‘universo’, mas sim as consequências das suas escolhas.

Se esses pensamentos te incomodam a ponto de impedir seu crescimento pessoal, ou te trazem sofrimentos e prejuízos procure se livrar deles, se você tiver dificuldades de mudar seu comportamento e persistir os medos de que falamos aqui… então crenças profundas podem ser a causa do seu comportamento, e crenças dessa natureza devem ser tratadas por um psicólogo competente. Como terapeuta tenho grande experiência, e conhecimento, atuo com terapia cognitiva comportamental, uma das abordagens mais eficientes para ajudar as pessoas com dificuldades desse tipo.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no email
Email

Comente